Pop 25 - Possibilidade de propulsão auxiliar com motor de popa elétrico

O projeto do Pop 25 tem a intenção de oferecer simplicidade e confiabilidade como seus principais objetivos. A idéia básica ao desenvolver o projeto foi a de sugerir propulsão auxiliar elétrica como primeira opção. A principal razão para isso é o sentimento de que a tendência para a utilização de fontes não poluentes de energia é irreversível. Além disso, acreditamos também que poucas coisas podem ser mais próximas do conceito de moto perpétuo do que um veleiro primariamente propulsionado pela força do vento e que possua um motor elétrico como meio de propulsão alternativo, consumindo somente energia derivada diretamente da luz solar, captando-a por meio de painéis solares, e indiretamente, por meio de gerador eólico. Nossa sugestão já conquistou pelo menos um adepto e já existe um Pop 25 com motor elétrico instalado. Mas ainda existe uma variante sobre esse tema: o motor de popa elétrico.

Torqeedo, a empresa que lidera o mercado de motores de popa elétricos, produz o modelo Cruise 2.0/4.0 R (controle remoto), que veste como uma luva como propulsor auxiliar para o Pop 25. Na versão Cruise 2.0 o motor funciona em corrente contínua de 24V, proporcionando mais autonomia, embora com menos velocidade, enquanto que a versão 4.0, que opera em 48V, proporciona um pouco mais de velocidade, no entanto com considerável perda de autonomia. Nossa preferência para o Pop 25 é o motor mais econômico, o Cruise 2.0, uma vez que a perda de velocidade é relativamente pequena, e a autonomia é em torno de dez vezes maior.

De acordo com os fabricantes, o Torqeedo 2.0/4.0 oferece mais autonomia, ou potência utilizando a energia acumulada em um banco de baterias de determinada capacidade do que qualquer outro motor elétrico de popa existente no mercado.

Outro fator importante a ser considerado é a sua resistência à água. O motor é capaz de operar em baixo d’água por um tempo limitado, mesmo sendo imerso até a profundidade de 1.5m, conforme norma IP 67.

O Torqeedo 2.0/4.0 R vem equipado com controle remoto constando de acelerador e monitor onde são mostradas informações sobre o estado das baterias, velocidade medida por GPS e o número de horas que ainda podem ser navegadas

A solução de usar motor de popa como propulsão auxiliar no Pop 25 já foi testada. Horus, o primeiro barco de classe a navegar, está utilizando um motor de popa a gasolina de 6 hp com muito bom resultado, atingindo a velocidade de 5 nós em mar calmo.

Horus, o primeiro Pop 25 a ser inaugurado, usa um motor de popa para propulsão auxiliar. Sem dúvida um motor de popa é a solução mais simples e barata para impulsionar o barco quando não tenha vento, requerendo nada mais do que um suporte fixado à plataforma de popa para sua instalação.

Não existe nada contra a instalação de motor de popa auxiliar a gasolina no Pop 25, apenas o fato de que instalar um motor de popa elétrico de rabeta longa é muito melhor. Se o barco tiver painéis solares permanentemente instalados, oi ainda possua um painel dobrável (a Torqeedo tem em sua linha de produtos um painel dobrável de 45 W que pode recarregar as baterias em caso de emergência), a energia consumida poderá ser re-acumulada, mesmo que leve algum tempo para conseguir isso. Uma bateria de lítio pode ser fornecida pelo fabricante já vindo condicionada em uma embalagem de plástico. A instalação de todo o sistema é do tipo: conecte e saia usando.

Clique aqui para saber mais sobre o Pop 25