Pantanal 25 novidades em julho de 2015

Paul Greblo possui uma vinícola em Bendigo, norte do Estado de Victoria, Australia. Ele está construindo um Pantanal 25 em sua oficina durante a temporada quando o serviço na vinícola lhe dá uma folga. Com esse barco Paul deseja fazer a travessia do continente até à Tasmânia, o que será um feito para um veleiro de camping de 25 pés de comprimento, considerando as condições duríssimas de tempo e de mar naquela região. O vídeo acima mostra como é bonita a sua fazenda.

O veleiro rebocável de quilha retrátil Pantanal 25 soa como música sertaneja nos ouvidos de seus proprietários. Quando alguém que possui um desses barcos fica de saco cheio do burburinho da vida nas cidades, ele sempre pode engatar o trailer de seu barco na ferragem de reboque do carro e levar o Pantanal 25 para aquele recanto remoto em algum lago ou riozinho de águas rasas onde um veleiro de quilha fixa nem pode sonhar em se aproximar, e ali passar um feriado deixando todos os problemas existenciais para trás.

Pantanal 25 Dark Ice, o barco que ajudou a classe a se expandir internacionalmente ao ganhar por dois anos consecutivos o campeonato paulista de vela de oceano. Cortesia: Jorge Intaschi.

Existem veleiros rebocáveis navegando em tantos lugares diferentes que fica difícil apontar que qualidades são mais desejáveis entre os modelos disponíveis. Em nosso caso apostamos na capacidade de acomodar uma família por umas férias, esse barco sendo equivalente a um motor-home. Para conseguir esse objetivo optamos por uma borda livre generosa, além de acrescentar uma cabine envolvendo a área social do salão, dessa forma conseguindo um pé direito bastante satisfatório na maior parte da cabine, onde isso é mais importante, como na sala, na cozinha e no banheiro. Como sub-produto desta borda livre um pouco acima da média usual para barcos desse tamanho conseguimos instalar um camarote com cama de casal sob o cockpit, uma solução que ficou bem legal. Nossos clientes estão muito contentes com o conforto que o barco proporciona e como surpresa agradável descobriram que o barco é um foguetinho navegando a vela tanto no vento de proa quanto em ventos folgados. Como um prêmio pelo nosso trabalho estamos vendo a classe se expandindo, volta e meia tendo algum barco sendo lançado à água nos mais variados lugares.

Esse Pantanal 25 foi construído em Santiago do Chile pelo alemão Maik Biela e breve estará sendo inaugurado. Chile é um dos países mais lindos do mundo para realizar um cruzeiro e podemos imaginar como será excitante acompanhar as aventuras que esse novo membro da classe irá realizar. Cortesia: Maik Biela.

Dois novos barcos da classe Pantanal 25 estão para ser inaugurados. Um deles foi construído em Santiago do Chile pelo iatista alemão Maik Biela. Já comentamos em matérias anteriores o impecável nível de qualidade da construção que o Maik está empreendendo. Agora o barco está aí, prontinho para quem quiser ver. O próximo artigo sobre a classe será uma super reportagem sobre a inauguração do barco.

Outro Pantanal 25 que está faltando muito pouco para ser inaugurado é o que está sendo construído em Bendigo, norte do estado de Victoria, Austrália, pelo produtor de vinho Paul Greblo. Como somos praticamente vizinhos (somente três horas de voo entre Perth e Melbourne:), pretendemos fazer uma visita ao Paul tão logo seu barco esteja velejando, e então fazer uma boa reportagem sobre esse evento. A Austrália é o país dos barcos rebocáveis, e o Pantanal 25 velejando na Baía de Port Phillips, se for para lá que ele levará o barco, será ótimo para a classe, uma vez que ali é um grande centro da vela nesse país. O Paul pretende empreender com seu barco uma viagem até a Tasmânia, e para isso nos pediu que o ajudássemos a reforçar um pouco a mastreação, especificando um perfil mais encorpado para o mastro e estaiamento um pouquinho mais robusto, o que fizemos com o máximo prazer, apesar de o barco ter sido projetado para navegar em águas interiores ou costeiras. Já sabemos que o barco é muito robusto, todavia, como o mastro de um barco rebocável precisa ser levantado e abaixado a cada navegada, projetar a mastreação o mais leve possível para que essa manobra seja fácil e rápida de realizar, no caso de um barco que é guardado em casa, nesse caso é uma prioridade.

Paul montando as balizas de seu Pantanal 25 no picadeiro. Ficamos contentes em ver que ele não encontrou dificuldades em realizar a montagem, o que demonstra que nosso manual de construção está bem explicado. As balizas mostradas na foto podem ser fornecidas em plantas em tamanho natural ou em arquivo CNC. Cortesia: Paul Greblo.

O Pantanal 25 sendo especificado para construção em sanduiche de strip-planking de espuma de PVC é um barco cuja construção está ao alcance do amador, não havendo necessidade em investir em dispendiosas formas fêmeas para construí-lo. No entanto, pelo menos três clientes nossos já fizeram formas para produção em série profissional do modelo, e isso está sendo uma boa contribuição para a expansão da classe. Hoje existem dezenas de veleiros Pantanal 25 navegando em diferentes países e em breve Austrália e Chile estarão incluídos nessa lista.

O barco do Paul já está em um estágio bem mais adiantado do que o que essa foto mostra. Pedimos a ele que nos envie fotos mais atualizadas da construção para publicarmos uma nova notícia sobre ele. Cortesia: Paul Greblo.

Como está em nossos planos passar umas férias na Tasmânia no próximo verão, estamos desejando fazer uma visita ao Paul nessa ocasião. Se o Chile não fosse tão distante de Perth, até que gostaríamos de estender essa viagem até lá. No entanto isso terá que ficar para umas outras férias.

Clique aqui para saber mais sobre o Pantanal 25.