Dados tecnicos Clube Renderizações Formulario de Pedido Fotos Quilhas Construção do Casco Convés Mastro e asteiamento Plano Vélico Lista de Planos Principais Dimensões Layout Descrição

Multichine 31

Multichine 31 Kuará vai para a água 

Agora foi a vez desse ultra bem-feito Multichine 31 ser lançado ao mar. Seu dono, o engenheiro metalúrgico paulista Thadeu Eduardo Miranda Santos nos visitou  a bordo do MC28 Fiu, durante o Salão Náutico do Rio de Janeiro, em abril de 2005. Ele e sua esposa Sueli se apaixonaram pelo estilo de nosso barco, no entanto o acharam um pouco pequeno para suas necessidades. Com essa dica ficou fácil sugerir que construíssem nosso projeto logo acima, o MC31. Mas tinha um detalhe; Thadeu não queria abrir mão de jeito nenhum da cabine envidraçada que tanto o impressionou no Fiu.

Não seria por esse motivo que o barco deixaria de ser construído. Fizemos para ele a modificação desejada e recomendamos o Estaleiro Franzen de Curitiba, Paraná, que já tinha uma boa experiência com esse modelo, pois construíra o primeiro veleiro desta classe a ficar pronto.

Com o projeto modificado na mão Thadeu fechou negócio com Zilmar Franzen e o resultado está aí, o imponente Kuará já navegando nas águas paranaenses de Paranaguá.

Como sempre acontece quando um MC31 fica pronto é a sensação de espanto das pessoas que visitam o barco inaugurado com o imenso volume desse 31 pés. No princípio desconfiavam de que ele talvez não fosse um bom veleiro, mas essa desconfiança logo se dissipou. Cada proprietário de um desses barcos que começava a conhecer o desempenho do modelo, ficava encantado de constatar como o barco veleja bem.
Zilmar Franzen participou da velejada inaugural do Kuará e em seguida nos passou esse e-mail:

  É com grande satisfação que comunicamos o lançamento do Mc. 31' KUARÁ. Estamos muito contentes com o desempenho do barco, ótima estabilidade e velocidade. O leme é preciso, equilibrado e muito leve de se controlar. A versão de cabine envidraçada está fazendo sucesso. O Kuará está chamando a atenção por onde passa e recebendo elogios pelo design e também pela sua performance.
 Desejamos a todos um Feliz Natal e Um Ano de 2009 com muita Paz e Alegria.
       Seguem algumas fotos, logo enviaremos mais fotos das primeiras velejadas.

      Abraços

      Família Franzen

Ora, é isso que nos deixa felizes; todo mundo contente. Zilmar merece nossos mais calorosos cumprimentos, pois sua construção é primorosa. Que coisa boa ver um barco tão bem feito.
Vamos torcer para que o Estaleiro Franzen tenha uma fila de clientes para construir MCs 31.

Clique nas imagens para melhor visualizar.

Falando sobre o Multichine 31

O Multichine 31 é um desenho que já deveria ter alcançado um papel de destaque em nossa galeria de projetos de estoque. Destinado principalmente à construção amadora, esse incrivelmente volumoso veleiro de cruzeiro, dono de uma elegância única e um conforto interno sem concorrentes para um barco de seu porte, esse barco é um marco em nossa galeria de projetos de prateleira.

Este reconhecimento está demorando um pouco mais do que esperávamos a ser alcançado, em parte porque nos primeiros barcos da classe a serem concluídos, seus construtores não estavam lá com muita pressa para acabar o serviço, fosse por razões de fluxo de caixa, ou para poderem caprichar ao máximo nas suas realizações. Mas agora que vários Multichines 31 já estão navegando, não dá mais para esperar para que o modelo consiga o reconhecimento merecido.


Nossos construtores, cujos cuidados especiais foram mencionados acima, estão muito orgulhosos de suas realizações e alguns deles estão interessados em compartilhar suas experiências com outros amadores. Dois deles publicaram sites na internet com links para nosso web-site. O mais recente é www.veleirotaga.blogspot.com . Taga, o Multichine 31 referido nesse site, está sendo construído pelo oficial de marinha aposentado Álvaro Pereira Guimarães. Ele está fazendo praticamente sozinho seu barco na sede náutica do São Cristóvão Futebol Clube, um centro de construção amadora onde os projetos da Roberto Barros Yacht Design são maioria absoluta. O trabalho empreendido por Álvaro pode ser considerado uma referência de alta qualidade em construção amadora. As fotos mostradas abaixo são boa prova do capricho dedicado à obra.

Clique nas imagens para melhor visualizar.

***

Outro Multichine 31 muito bem construído é o Santa Clara. Tom Murray, seu proprietário, também um construtor amador de primeira viagem, lançou seu barco à água poucos meses atrás. Santa Clara está causando uma impressão muito favorável junto aos velejadores da Marina da Glória, onde ele está estacionado. Tom construiu o Santa Clara no jardim de sua casa, em Santa Teresa, um bairro do Rio de Janeiro junto ao morro do Corcovado, onde fica a estátua do Cristo Redentor. Tendo uma piscina situada a poucos metros de onde o barco foi construído e com uma vista esplendorosa para a cidade do Rio de Janeiro, é difícil imaginar como Tom tirou a força de vontade para fazer um trabalho tão bem feito.

A classe MC31 tem muitos barcos em construção em diferentes paises e a ultima aquisição dos planos foi de um casal na Suécia, o qual pretende iniciar a construção em breve. Pretendemos ir promovendo os Multichines 31 que forem sendo terminados nos mais variados lugares para proporcionar à classe a projeção de destaque que ela merece.

Aloha, o outro barco mostrado nas fotos, foi construído na cidade de Porto Alegre, e o mostramos velejando no rio Guaíba.

Clique nas imagens para melhor visualizar.

Clique nas imagens para melhor visualizar.

***

Depois de ler esse artigo, nosso amigo Tom Murray nos enviou esse e-mail de agradecimento com uma bela foto do Santa Clara navegando fora da Baía de Guanabara que reproduzimos abaixo. O barco parece tão grande que é difícil acreditar que tenha somente 31 pés de comprimento total

Caros amigos.
Fiquei muito contente com o texto sobre o Santa Clara, e também envergonhado de não ter ainda mandado notícias para vocês. Estou muito feliz, o barco está maravilhoso. Ele veleja muito bem, é muito equilibrado, pode-se largar a cana do leme que ele continua no rumo. Em todas as condições de vento ele é perfeito e fácil de se levar. É muito rápido também, confortável e seguro, enfim tudo que vocês falavam no projeto e mais ainda. Só tenho a agradecer à vocês por projetar sonhos e dar todo o apoio necessário para realização dos mesmos.
Abraços,
Tom.


Mais um Multichine 31 com Casco Pronto.

Recentemente foi completada a viragem do casco de mais um Multichine 31.  O barco está em construção no clube São Cristóvão, no Rio de Janeiro, pelo próprio proprietário e pelo que pudemos ver até agora será mais um belo representante desta classe.  Esta é uma fase muito importante da construção já que agora se inicia a fabricação do interior. 
O Multichine 31 é um dos nossos projetos mais especiais e bem poucos barcos de cruzeiro deste comprimento possuem tanto espaço interno.

Clique nas imagens para melhor visualizar.

Multichine 31 com nova cabine

O desenho do Multichine 31 é conhecido por sua elegante cabine em cunha com paredes laterais bem inclinadas. A maioria dos barcos da classe foi construída com essa cabine e seus donos estão todos satisfeitos com a estética de seus iates. No entanto existe certo número de potenciais clientes do MC 31 que preferem o estilo de cabine adotado em nosso projeto Multichine 28, o qual possui um convés corrido à proa e a cabine começa logo atrás do mastro, sendo toda enjanelada. Para atender a esses interessados fizemos a nova versão do MC31 com cabine tipo pilot-house, dessa forma contentando às duas correntes de gostos.

Um dia perfeito para um test-drive. Foto: Zilmar Franzen

Surpreendentemente estamos constatando que o número de interessados na nova cabine é bem maior do que imaginávamos, e no momento a procura pelos dois modelos se encontra empatada. Isso é ótimo para a classe, uma vez que o comportamento do barco quando navegando em ambos os estilos é o mesmo, e todos os dois modelos são igualmente atraentes.

MC 31 Kuará velejando no contravento usando uma genoa para vento fraco. Foto: Zilmar Franzen

O primeiro barco a ser concluído empregando a cabine no novo estilo foi o Kuará, que está estacionado em Paranaguá, estado do Paraná. Outros iates da classe com essa nova cabine estão sendo construídos em vários lugares, a maioria absoluta deles por construtores amadores. No entanto, em abril de 2010 ainda não existe outro veleiro da classe concluído usando a mesma cabine do Kuará.

Para nós da Roberto Barros Yacht Design (B & G Yacht Design na Austrália) é muito gratificante acompanhar o lançamento de um novo produto, principalmente se ele for muito bem construído, como foi o caso do Kuará. Esse barco ficou um espetáculo e com certeza irá ajudar a impulsionar a classe para cima.

Estação de rádio e navegação. Foto Zilmar Franzen

Kuará ficou tão aconchegante que até nós ficamos em cima do muro quanto à nossa preferência entre os dois estilos de cabine. Melhor assim, afinal agora os dois modelos são oficiais.

Celebrando a primeira velejada. É sempre uma sensação indescritível a inauguração da primeira unidade de um projeto novo. Thadeu e esposa são os de agasalho vermelho. Foto: Zilmar Franzen

Kuará foi construído pelo Estaleiro Franzen, www.estaleirosfranzen.com.br para o engenheiro metalurgista Thadeu Eduardo de Miranda Santos, e essa encomenda ao estaleiro foi muito bem sucedida, considerando que nosso cliente só tem elogios a fazer ao estaleiro. O entusiasmo dele pelo barco é tão grande que criou um site relatando a construção e algumas velejadas empreendidas. (Veja em nossos links: Multichine 31 Kuará) .

Realmente o Kuará ficou muito legal mesmo. Além de ser muito bem construído, ele é todo decorado com cores alegres, o que transmite um alto astral à sua atmosfera. Ele também navega muito bem e por isso é considerado uma das estrelas no clube onde está estacionado.

Temos que admitir que o conforto interno melhorasse um pouquinho com a nova cabine, pelo menos para as pessoas com mais de 1.85m de altura, pois o pé direito da cabine enjanelada é maior. No mais os dois modelos são iguais. Afinal um barco tão bem sucedido não deveria ter coisa alguma para ser alterada. Também a verdade é que o pé direito na proa, que nessa versão fica mais reduzido, não faz falta alguma, pois ali só existe um beliche de casal.

Agora, vamos ser francos, alguém realmente precisa de um barco maior que esse para realizar seus sonhos? Considerando que ele é um veleiro oceânico categoria A de acordo com as regras de estabilidade da União Europeia, para que um barco maior, se é possível fazer qualquer tipo de aventura com ele com o mesmo nível de segurança daquela encontrada nos barcos mais seguros que existem

A primeira refeição cinco estrelas preparada a bordo mereceu ser brindada em alto estilo. Foto: Zilmar Franzen

Parece que Thadeu construiu esse veleiro para ser seu barco definitivo, tão bem o decorou e equipou. O resultado ficou sendo um barco fora de série.