Plano Vélico Principais Dimensões Layout Descrição

Multichine 34 / 36

NOVAS NÓTICIAS DA CLASSE MC34/36

O Multichine 34/36 Arakaé construído por Pedro Tremea em Foz do Iguaçu, estado do Paraná, já está pronto para ir para a água. O interior do barco ficou uma coisa de cinema. O Arakae foi feito artesanalmente por profissionais locais sem experiência prévia em construção de veleiros e o resultado superou em acabamento e qualidade a maioria dos barcos construídos por fábricas especializadas.
Pedro irá lançar o barco na represa de Itaipu e após algum tempo por lá, ele pretende descer o rio Paraná e sair no Rio da Prata, para depois subir a costa até Paranaguá.
A galeria de fotos que ele nos enviou vale mais do que mil palavras para descrever como ficou bonito esse MC34/36

Clique nas imagens para melhor visualizar.

Para maiores informações sobre o Multichine 34/36, clique aqui.

MULTICHINE 36 SERENATA EM ALTO MAR

Três anos e meio de construção, dois anos e meio de ajustes, preparações. Meu veleiro azul descansa agora em Salvador, após subir a costa leste com uma flotilha de quarenta barcos e demonstrar que é valente, muito veloz e absolutamente confiável. Gostaria de compartilhar minha incontida felicidade com os amigos: envio algumas fotos do Serenata orçando lindamente a 7 nós, no trecho Ilhéus / Salvador.
Abraços
Marcelo Brasil

Clique nas imagens para melhor visualizar.

CLASSE MULTICHINE 34/36

Recebemos essas fotos do veleiro MC36 Gibraltar construído pela Metallic Boats para Fernando Martins Mansano, lançado recentemente à água em Porto Alegre. Essa classe até parece concurso para Miss Universo. Cada barco inaugurado tem sido um motivo de orgulho para nós do escritório. Agora é a vez do Gibraltar dar um show de beleza. Confira abaixo as fotos.


E-MAIL DO NOSSO AMIGO E CLIENTE MARCELO BRASIL,
DONO DO MULTICHINE 34/36 SERENATA.

Luis,
Todos que conhecem o Serenata me perguntam se o pessoal do escritório já teve o prazer de conhecer.
Estou mandando uns arquivos para que vocês o conheçam melhor. Aproveito para informá-los que o Serenata
veleja feito um barco de fibra, anda mais que notícia ruim, o que deixou todo mundo surpreso por aqui, eu inclusive,
pois sendo de aço achamos que seria mais lento... Sete nós ele faz toda hora, super normal, com meu Brasília 32 era uma
raridade andar assim. Na semana retrasada pegamos a 20 milhas da costa um ciclone que destruiu um monte de barcos na Ilhabela, foi uma loucura, ventos registrados de 50 nós, o mar ficou branco e as ondas cresceram rápido.
O Serenata se mostrou absolutamente
estável, não pareceu dar muita bola pro mar. O barco tem superado minhas expectativas em todos os sentidos.
Parabéns a todos vocês. Grande abraço,

Marcelo Brasil


Relato da primeira velejada de um Multichine 34

Caros amigos,
Ontem fui surpreendido por um telefonema do Francisco Lacerda, eufórico a me contar a velejada que tivera ainda ontem poucas horas atrás no seu Multichine 34 agora de nome "Onda-Azul-Rio". Acredito a primeiríssima da classe.
Ai vão os detalhes e impressões tal qual ele me passou.
Motorando o barco faz em torno de 5.5 nós @ 2500 rpm sem esforço algum, mas quando se elevou os giros para em torno de 2800 rpm a 3000 rpm o barco pulou para 7.2 a 7.5 nós sem grandes "bigodes" o que realmente é andar muito bem. (nota: no projeto dimensionamos um motor de 40hp)
Subindo os panos, mesmo com o mastro ainda fora do ponto e o barco em total desregulagem, tipo a genoa batendo em baixo (ponto do carro fora do lugar) e outros coisas mais, e considerando o vento fraco de ontem, atingiram sem grande esforço os 6.5 nós e em tôrno.
Como a turma que estava no barco não acreditava, fizeram dúzias de medições de velocidade e deu isso ai mesmo. Francisco me contou estar espantado com o excelente ângulo de orça que o barco navegou, ele estimou alguma coisa pelos 35° aparente, o que quer dizer alguma coisa chegando nos 40° verdadeiros, em outras palavras - excelente.
Outra coisa que ele fez ressaltar foi a excelente estabilidade do barco, que aparentemente não mostrou nenhuma vontade de dar adernadas, principalmente súbitas. É certo que o vento não estava forte mas como disse o Francisco "ele não mostrou intensão nenhuma de adernar demais".
Tudo isso entremeado pelo estribilho de "ele é muito confortável, parece um trem, nem mexe", e por ai vai....
Como voces percebem, durante o "teste" estavam alguns amigos do clube (Naval) também proprietários de barcos e curiosos em saber como o 34 iria se comportar. Bocas-abertas-à-parte, um deles chegou a propor que o Francisco medisse o barco para regata,.... "voce sabe, andando assim e sendo de aço, ninguem dá nada, e ai vai ser o bicho"... Em resumo a "coisa" já se espalhou e o 34, bem, se alguém tinha alguma dúvida sobre sua performance, ai esta a publicação do bôca-a-bôca do "teste".
Com certeza ele vai ligar para voces e contar a façanha.
Abraços, e Feliz Ano Novo,

John Matheson

Carta que William Lee enviou ao Cabinho após visitar o Multichine 34 Serenata:

" (...) Sábado passado tive um relief na minha ansiedade, quando fui ao estaleiro do Zé Oscar, para rever o seu Multichine 34 que está num estágio bem mais avançado e tive um grande momento de alegria. Eu estava quebrando a cara procurando um projeto para um veleiro pequeno por aí, quando a solução para o meu "problema" estava tão próximo e tão fácil.

Você estava realmente inspirado por Netuno quando "concebeu" esta pequena maravilha. (Os alemães chamavam o carrinho DKW de pequena maravilha - Das Kind Wonder). Acho que vou passas a chamá-lo de DKW34."

Eu admiro tanto o seu trabalho, e tenho tanta empatia por você, que acho uma pena nunca termos sentado para um longo papo legal sobre things, thoughts and ideas. Talvez algum dia me convide para uma velejada até o Horn, ou vice-versa.